Estaremos preparados para uma não-crise? [texto integral]

|Do arquivo Público 03.01.2018| Um dos indícios mais fortes de uma depressão económica é ocorrer uma quebra na produção industrial. E uma das formas mais fáceis de o prever é seguir o Índice dos Gestores de Compras, que nos informa sobre as encomendas e aquisições feitas a cada mês pelas empresas. No início da crise, de […]

Ler mais
Pode um progressista defender Putin?

“Quando alguém que se reivindica de ideias progressistas defende Putin é porque em geral o faz ao arrepio dessas mesmas ideias. Defende Putin como forma de atacar a hipocrisia das ações de outros líderes políticos, em particular ocidentais, hipocrisia essa que certamente existe e em quantidades apreciáveis. Ou defende Putin porque ele irrita as pessoas […]

Ler mais
Democracia europeia: cheirar mas não inalar

A crónica de hoje no Público é sobre o chumbo das listas transnacionais (ou pan-europeias, como eu prefiro) no Parlamento Europeu. “As listas pan-europeias poderiam ser bem ou mal implementadas. O que se viu na oposição nacional às listas pan-europeias não foi, porém, vontade de melhorar a proposta (após o que seria legítimo chumbá-la se […]

Ler mais
A culpa é dos outros e o passado era maravilhoso [texto integral]

|Do arquivo Público 29.01.2018| Escrevi na passada sexta-feira sobre violência doméstica. Não é tema em que haja muito para discordar, e portanto não gerou muitos comentários. Um dos que gerou, porém, chamou a minha atenção. Era de um leitor que, como eu, se queixava da falta de meios na justiça e da pouca prioridade do tema […]

Ler mais

A crónica de hoje no Público parte de um falhanço nosso como comunidade política organizada: em 2015, uma concidadã nossa, a que deram o nome Maria, foi assassinada pelo marido mais de um mês depois de ter comunicado ao Ministério Público que estava sob ameaça de morte, sem que lhe tenha sido conferido o estatuto […]

Ler mais
Os partidos-médium e os deputados-fantasma

“Como pode isto ser? Nós, que somos meros mortais, não percebemos. Já os nossos deputados na AR são corpos evanescentes, capazes de serem contados numa sala onde não estão presentes e de nela votarem sem ter votado. Fantasmas, portanto. Os seus partidos são como médiuns numa sessão espírita, capazes de convocar quem não está presente […]

Ler mais
A nova desordem mundial [texto integral]

|Do arquivo Público 22.12.2017| Ontem não foi a primeira vez que os EUA votaram isolados na Assembleia Geral das Nações Unidas. Em matéria de conflito israelo-palestiniano, então, os votos isolados ou acompanhados apenas de mais um ou outro aliado foram frequentes no passado. Mas não deixa de causar um certo pasmo ver quem acompanhou os EUA […]

Ler mais
Com estimas destas ninguém precisa de estigmas

“No mundo das crónicas, uma pessoa lá tem de se habituar a que de vez em quando sejam distorcidas as suas palavras. Agora substituírem uma palavra por outra e atacarem-me por aquela que escolhi não usar é que confesso nunca ter visto.” Uma crónica sobre uma coisa estranha que me aconteceu ontem, para ler no […]

Ler mais