A lição do dia

Sendo adultos e solteiros, quem não pode casar em Portugal?   Pessoas em coma, com deficiência mental profunda — e homossexuais. Os homossexuais já não são considerados criminosos nem doentes mentais. Podem ser ministros, primeiro-ministros, presidentes e chefes de empresas, decidir da vida de milhares de pessoas. Mas não podem tomar uma decisão sobre a […]

Ler mais
Só para avisar…

…antes que o post desapareça para os arquivos, está em curso uma discussão interessante nos comentários ali em baixo em “Um amor como o nosso”. Mete tecnologia, o fim do mundo, malthusianismo, e mais opiniões dos comentadores João Vasco, Lidador, Miguel Madeira, Jaime Taveira, entre outros.

Ler mais
Mais “novo progressismo” e uma campanha pouco séria

As ideias, mesmo as mais elementares, têm consequências. Em política, sobretudo as mais elementares têm consequências, pela facilidade com que se convertem em narrativas e se cristalizam no espaço público. As ideias dominantes dos últimas trinta anos têm sido estas: o mercado tende “naturalmente” para o equilíbro, o sector privado é sempre mais eficiente do […]

Ler mais
O que é o “novo progressismo”

Vocês decidam-se, pá. Ou Obama é um político de plástico, ou Obama é demasiado radical. Ou Obama não quer saber da Europa, como diz Vasco Pulido Valtente, ou Obama cometeu um crime de lesa-pátria ao discursar para 200 mil pessoas em Berlim, como diz a direita americana. Ou Obama é um risco demasiado grande num […]

Ler mais
Gosto deste “debate”

A direita comentadeira, em particular a portuguesa, é muito curiosa. Aqui há um ano, quando António Costa e José Sá Fernandes formaram uma aliança na Câmara de Lisboa, houve um sobressalto geral contra a proposta de introduzir uma cota para habitação a custos controlados. Denunciou-se que era uma ideia “cubana”, apesar de estar em prática […]

Ler mais
“A sombra das eleições”

[Público, 14 julho 2008]   Portugal tem uma funesta tradição de gente que desconfia das eleições. Chamemos-lhes democépticos. Não são forçosamente antidemocráticos, evidentemente, ou até pelo contrário. Simplesmente consideram que nada é mais prioritário do  que reformar o país segundo as reformas sempre urgentes do consenso técnico. Nada é mais importante do que reformar o […]

Ler mais