“(Nota: eis-me de regresso ao Público depois de ter sido candidato pelo LIVRE a estas eleições europeias, com um pouco mais de 60 mil votos duramente conquistados com apenas dez mil euros de campanha — 35 e 50 vezes menos dinheiro, já para não falar de cobertura televisiva, do que partidos com uma votação semelhante. Não me compete fazer de analista de mim mesmo. Direi apenas que estou contente com o resultado e com as perspectivas que ele abre para que possamos ter finalmente em Portugal, a partir de outubro, a esquerda verde pró-europeia e anti-austeritária que me dá esperança no resto da Europa. E continuarei a lutar por uma Democracia Europeia com a mesma convicção de sempre.)”

A crónica completa aqui.