Arquivo diario para April 12th, 2011

O falhanço e depois

Lá ao fundo ouvia-se um gemido, uma coisa entre suspiro e exalar de último fôlego. Era Portugal, esmagado debaixo da banca, por detrás do estardalhaço da União Europeia a desconjuntar-se.

Havia nos anos oitenta um filme que se passava num avião lotado em queda. O protagonista era um ex-piloto, alcoólico em recuperação, cuja deixa mais memorável era: escolhi um péssimo dia para deixar de beber.

Interrompi esta crónica durante um mês. Foi um péssimo mês para deixar de escrever.

Tempos medonhos. No Japão, terramoto, maremoto, crise nuclear seguida em direto. Saíamos de casa, tinha explodido um reator. Chegávamos ao trabalho e já havia risco de explodir outro.

No mundo árabe a revolução foi e está a ser brutalmente mutilada. No Bahrein com uma cínica invasão saudita a que erradamente ninguém presta muita atenção. Na Líbia um massacre em Benghazi foi evitado a poucas horas de acontecer (votei a favor de uma no-fly zone com mandato da ONU que o pudesse impedir) mas em vez de uma ação restrita para proteção de civis e com vista a um cessar-fogo temos agora uma situação pendular com risco de enquistamento ou escalada (eu estava consciente deste risco ao votar e, apesar dele, acho que fiz o que estava certo). E, na Síria, com a repressão fria, seca e brutal característica daquele estado policial.

No Mediterrâneo um barco virou-se e morreram cento e tantos refugiados.

Para terminar, caiu o governo de Portugal. Continuar a ler ‘O falhanço e depois’