Arquivo diario para September 16th, 2010

Saudades do Brasil

Eu gosto do Brasil; mas adoro o Brasil em ano eleitoral — tem a exata mistura de idealismo, baixaria, cinismo, humor destravado e confusão utópica que não me deixa aborrecer.

No ano de 2000 peguei em duas mochilas e voei sozinho para o Brasil, pensando voltar dali a dois meses. Quase não consegui.

Comecei pelo Rio; ia aos jogos do Flamengo; não queria sair de lá. Em Ouro Preto, Minas Gerais, estive tentado a tornar-me dramaturgo residente de uma companhia de teatro — sem ter escrito até então uma só deixa ou indicação de cena, o que aliás era secundário. Em Brasília, fazendo fotos de Vila Planalto para a tese de uma jovem socióloga, prolonguei a minha solicitude desmesuradamente. Em Alcântara do Maranhão adormeci numa cadeira em plena praça, segurando na mão os meus óculos dependurados como se fossem o rosário de uma freira cansada; por pouco não perdi o último barco. Em Cairú, na Baía, rodando os botecos com um japonês paulista chamado Mário, ri às gargalhadas ao ver que não teria lugar no avião de regresso e, sobretudo, ao perceber que isso não me incomodava nada.

Tirando umas horas na Praia do Futuro em Fortaleza, Ceará — bem antes do célebre multiplo homicídio do “monstro lusitano” e, curiosamente, a única vez que me aproximei da horripilante indústria turística nordestina “de luxo” — nunca houve nada de que eu não gostasse no Brasil, incluindo os prédios feios de Goiânia, as favelas intermináveis de São Paulo e os buracos nas estradas do Mato Grosso.

Desloquei-me sempre de transportes terrestres, de ônibus. Se o país é grande a viagem tem de ser longa. Continuar a ler ‘Saudades do Brasil’