Minha crónica de hoje no Público: “Há 500 milhões de cidadãos na União Europeia, e mais ainda no resto do mundo, que têm razões para estar gratos a Antoine Deltour. Com um só ato, pacífico e ordeiro, ele pôs o dedo na maior das contradições da economia atual. Essa contradição exprime-se em três frases. A nossa sociedade está a ficar mais rica. Nós estamos a ficar mais pobres. E há quem ache que isto é normal.”

A crónica completa está em “Se não eu, quem?”.

One thought to ““Se não eu, quem?””

  • mm

    Já n precisamos de ir para o 3º (4º, 5º?)mundo… ele aqui está em todo o seu esplendor!
    E n só neste particular…!!!

    Mas q leis são ess(t)as q penalizam (porquê, como, onde?) quem denuncia as (gigantescas e nauseabundas)fraudes????!!!!!…………

    Já não há vergonha nem decência na cara (verniz) de ninguém???!!!

    MAS O Q É ‘esta’ Europa????!!!!

Leave a comment