Venezuela: o poder corrompe ou o poder revela?

Venezuela: o poder corrompe ou o poder revela? – A minha crónica de hoje no Público.

“O que faltará então é fazer a pergunta: e se o poder revelar a corrupção que já existia antes? Se supusermos que o poder revela pelo menos tanto quanto corrompe, talvez então facilmente identifiquemos a arrogância, o autoritarismo e o espírito de intolerância que já estavam bem presentes no poder chavista antes e que agora se revelam de forma tão clara com Nicolás Maduro. E assim talvez se evitem cometer os mesmos erros de cumplicidades silenciosas e solidariedades enganosas da próxima vez e com o próximo país, agora que a Venezuela caminha já para um perigoso desconhecido.”

1 Resposta a “Venezuela: o poder corrompe ou o poder revela?”


  • Li com agrado o seu artigo de hoje no “Público” pelo tema desenvolvido sobre se “o poder corrompe ou o poder revela”, dando como exemplo o caos atual na Venezuela. Por interesse profissional tenho seguido desde o final de 1996 um caso ocorrido na Indonésia – a maior fraude mineira jamais ocorrida no mundo – no qual o ditador Suharto e todo o seu séquito se envolveram, com sequente descrédito, quer interno quer internacional, para o Poder instalado na Indonésia durante mais de 30 anos. Talvez por coincidência, o regime começou a ser contestado no mesmo ano e a sua queda seguiu-se pouco tempo depois. Na sequência Suharto foi mundialmente acusado e condenado por ter “empochado” durante o seu reinado 15 a 35 biliões de USD.
    No final de 2010 tive ocasião de apresentar num encontro de minas – porque de uma mina virtual se tratou – um texto que equaciona o como e o porquê de fraude que terá custado biliões de dólares no início de 2017 aos ingénuos investidores canadianos e causado uma crise de descrédito a Suharto. Poderei enviar-lhe (se me facultar o seu e-mail pessoal)o texto que então apresentei, o qual não obstante a sua tecnicidade demonstra bem que a constatação da corrupção poderá ter um efeito auto destrutivo.
    Como não sou nem político nem historiador deixo ao seu cuidado a demonstração que o caso Busang foi uma causa próxima da queda de Suharto. De qualquer modo sugiro uma pesquisa prévia em “Indonésia – Suharto – Brex-Busang”.
    Melhores cumprimentos
    A.Baptista

Deixar comentário