Os desingénuos

A zona Euro, ou a União, que praticamente não têm dívidas, podem e devem fazer o papel que antes era dos estados, ou dar condições aos estados para que o voltem a fazer.

A austeridade falhou na Grécia. A austeridade falhou na Irlanda. A austeridade falhou em Portugal. A austeridade falhou na Europa — de acordo com os critérios dos próprios defensores da austeridade. As contas públicas não ficaram mais equilibradas, a confiança não voltou aos mercados, a economia não retomou.

Em face deste quadro, muitos dos austeritários fazem-se de ingénuos: “se alguém soubesse como é possível estimular o crescimento e o emprego, já teria sido feito”, dizem agora, como se estimular o crescimento e o emprego fosse um mistério económico impossível de atingir através de políticas concretas.

Mas não é. Os livros estão cheios de exemplos de como as políticas públicas induzem crescimento e podem ter como objetivo a ocupação da população ativa. Podemos recorrer a fórmulas testadas pelo tempo, desde a criação de agências de desenvolvimento regional à fundação de bancos de fomento, que deram resultados em todo o mundo, do Vale do Tennessee ao Nordeste Brasileiro, passando pela Europa do Pós-Guerra. Mas como temos pressa, há um atalho: centenas de milhares de milhões de euros em projetos com financiamento comunitário, que não podem avançar porque os estados-membros não têm forma de os co-financiar.

Numa depressão, ontem ou hoje, a pergunta principal é sempre quem se pode substituir ao esforço daqueles privados, ou países, que procuram desalavancar-se. Com a criação do euro, a resposta subiu um degrau na escala. Os países sem moeda própria estão agora na posição em que antes estavam privados ou empresas.

A zona Euro, ou a União, que praticamente não têm dívidas, podem e devem fazer o papel que antes era dos estados, ou dar condições aos estados para que o voltem a fazer.

A doutrina da austeridade expansionista, que os falsos ingénuos têm defendido, não tem passado de banha de cobra. As políticas de crescimento e emprego não precisam de milagres; o problema da sua aplicação não é económico, mas político.

O problema político — que é a da criação de uma democracia europeia, que possa legitimar as escolhas na alocação de recursos ou de criação de dívida que numa situação destas a União terá de vir a fazer — é pois o nó górdio.

Mas aqui encontramos o mesmo tipo de reações. Desde Pedro Lomba, que se perguntava aqui na semana passada se não serão mais democráticos os Conselhos Europeus onde se reúnem os governos, até Francisco Louçã (no seu livro “A Dividadura” com Mariana Mortágua) declarando que um voto num governo europeu é “um voto que não tem sentido. Porque não tem democracia, não tem legitimidade, não tem soberania” — ou seja, não porque não, não, não.

Basta olhar para os Conselhos Europeus para ver como são democráticos: manda Merkel. E pensar no que seria a criação dos instrumentos de dívida que a esquerda defende para evitar a saída do euro — os eurobonds — sem democracia europeia: poriam e disporiam deles os burocratas de Bruxelas, perto dos lobistas mas longe dos cidadãos.

Tal como a austeridade falhou, a Europa do diretório falhou, e a Europa dos tecnocratas iluminados não seria melhor. É essa Europa que os cidadãos rejeitam, de Atenas a Paris. Já é tempo de lhes ser proposta, sem falsas ingenuidades, a Europa democrática.

9 Respostas a “Os desingénuos”


  • Temos todos que ser diferentes, e a nossa politica caseira do disse que disse do culpa o antes, e faz hoje pior….vista lá pelos do norte, não dará muito bom aspecto…acho!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • A Europa revela-se.
    E no último estertor de universalismo (pelo menos, por ela asssim visto), revela o mundo.
    A Europa, ‘mãe/filha’ e origem (já miscenizada)da cultura ocidental ‘afunilada’ para nascer sob forma helénica e subsequentes romana, integrando, antes e depois, os saberes das várias culturas q por aqui passaram e viveram (no perímetro algo abstruso europeu), sem falar da preciosa base q os conhecimentos árabes deram à prossecução da 1ª e última ‘noção e aventura de império’ modernas, os Descobrimentos portugueses [100 anos antes de Espanha, a comerciar e a namorar (sem conquistas ou guerras, vide o exemplo do Brasil, q n foi conquista senão sob o ponto de vista musical…)–não estou com isto a branquear tudo o q de igualmente horriplilante houve, sobretudo ‘mentale’. E continua a haver. Sem querer puxar a brasa ‘à minha sardinha’…].
    A Europa, com tão boa reputação (esquecida a chatice de todos os nazismos –passados e presentes) e boa condição (enfim, já teve melhores dias, vindo a perdê-la …e a ser profetizada, nós é q n sabíamos de nada!), de tão excelsos princípios e práticas, revela-se.
    Em 1º lugar, a 1ª uiversalidade: o DEUS VIVO do dinheiro e do lucro (fácil, se possível) para uns quantos (estima-se 1% –ou n será demais?);
    a 2ª- a contínua (mesmo q subterrânea, — dp dá em boas superfícies!) discriminação, segundo critérios socio-económicos e de poder, raciais e classitas, das pessoas e dos países/regiões, no matter what or who;
    a 3ª- uma visão e prática, até para os seus [como qq ditadorzeco (mas eficaz) q se vê por aí], de absoluto desprezo e ‘rigor’ (sempre com lucro) com q ‘a finança’ e respectivos países não se importaram de ver milhões de pessoas, a quem tinha sido dado a possibilidade de viver melhor e com mais instrumentos para o mundo contemporâneo (como se vê, mais uma vez e agora, com ‘esta’ crise, a implosão e o estilhaço fazem parte do conceito), com a maior frieza e despacho, verem milhões de vidas, nunca tão instruídas e conscientes (‘a vida árabe’ q havia e há na sua rua, mostram-no à saciedade), de serem deitadas para o caixote do lixo de qq história e futuro… merceeiramente;
    a 4ª- o furor moralista das boas práticas comerciais e contratuais (e/ou já só financeiras de nenhuma economia) e o ‘agora pagas malandro desonesto rufia’, doa a quem doer [não se negam, mas repudiam-se, as fraudes e desonestidade política havidas qd o foram, SÓ QUE, para quem n esteja a par (talvez os políticos?!), ‘o povo’ q somos todos nós, construíu, honradamente e com mt esforço, a vida e oportunidades, para si e os seus filhos, de q agora goza(-zava) e é respnsável pelos seus ‘negócios’, contrariamente à eterna e inimputável banca..], não se importando COM NADA (eles q só têm ganho, coitaditos) e tudo isto num dos sítios (ainda) mais ricos e democráticos (!!!) do mundo; não saber parar e reformular (além da urgência em VER O OUTRO, afectivo-emocionalmente e com a mesma dignidade e necessidade ONTOLÓLICAS –e substanciais, já agora– que nós), é O problema do aprendiz de feiticeiro.

    NOTA: É reconhido o valor da Alemanha, a sua organização e prevenção atempada da crise, mas tb não nos podemos esquecer que(estamos numa União,não é?!), além do euro ter sido feito à imagem, semelhança e conveniência da Alemanha e de esta só ter ganho (e continua a fazê-lo) com a despesa, na altura do pós-guerra (e do seu rasto) este país foi ajudado a reconstruir-se, não tendo q pagar mais do q 5% das suas exportações! Assim como foi ajudada economicamente pela União Europeia (e os contribuintes alemães), a integrar a Alemanha de Leste; pena q nos reste, apenas, da e de tão aclamada cultura europeia (seja lá isso o q for) um dedo levantado em riste a mostrar o triste estado dela e da sua ‘cosa mentale’…! Além do génio e visão económica (q só pode ter mtíssimas aspas) e de desenvolvimento e solidariedade ‘derniés cris’ europeus…!
    E da vergonha na cara q não tem, não sobressaindo, de facto, da 1ª e última das tristes universalidades do crime e psicopatia planetários.
    Que nos regem e/ou querem-no. .

  • Os desinfestantes? desingénuos parece-me extermínio

    fredag den 1. juni 2012
    O BLOG COMO ARMA DE ESTUPIDIFICAÇÃO MACIÇA DESDE O BLOC DE AVENTAR MERDA DO AUSTROLLÓPITECO DE SERBIÇO AO BLOC ROLL-ON E AO MODERNO BLOGUE DE PAPEL HIGIÉNICO
    AVISA-SE QUE A LEITURA E CU MENTE ÁRIOS E VÁRIOS NUM BLOGUE

    Ô BLOC EM CATALAYUD PODE TRANSMITIR DOENÇAS DA MIOLEIRA

    COUSAS VENÉREAS E ADEMAIS PORCARIAS QUE AS VACAS LOUCAS PUTALÍTICAS

    E AS OUTRAS VACAS CARNÍVORAS E PARASITAS PALEOLÍTICAS NOS DÃO

    E ASSIS É DESDE QUE O PRIMEIRO MACACÓIDE

    ADESCOBRIU QUE ATIRAR MERDA AO BIZINHO ERA COM’UNI’CAR

    QUE TAL COMO A RODA O UNIBOLSO E O UNISACO AZUL (OU ROSA OU INCOLOR)

    FORAM AS GRANDES ADESCOBERTAS DOS MACACOS PELUDOS

    E DOS MACACOS NUS TOSQUIADOS PELO FUN CIO ANAL ISMO FIS CÁ LISTA

    AGENTE NO PERÍODO DA PEDRA LASCADA ACOMEÇOU A AVENTAR LASCAS

    DAS DE PEDRA E NÃO DAS OUTRAS DE CARNE DE CON SUMO RÁPIDO

    LASCAVA-SE O PARCEIRO E DIZIA-SE QUE ERA UMA INDUCAÇÃO LAPIDAR

    O QUE TALVEZ FOSSE UMA MELHORIA SOBRE O ATIRAR MERDA

    SENDO O QUE ERA O SNS NAQUELA ALTURA

    ERA SEMPRE UMA EUTANHÁSIA DU THANATOS OU DO THANAS

    QUISTO DE SER MACACO GREGO NÃ É QUEM QUER

    SÓ QUEM PHODE…

    ASSIS SURGEM BLOGUES MAIS MORTÍFEROS E EVOLUÍDOS

    VINDOS DE LOJAS DE BLOGUEIROS E BLOC EIROS SEM EIRA NEM BEIRA

    QUE DÃO BIQUEIROS NOS INGÉNUOS E CÂNDIDOS NAXIONALES E NAZIO ANNALES

    QUEREM DESINGENUIZAR-NOS PÔRRA

    COMO OS NAZINS ALEMÕES QUERIAM DESINFESTAR OS CIGANOS E OUTROS

    E SÓ DESCOBRIRAM QUE NÃO ERAM PARASITAS

    QUANDO OS TINHAM ADESINFESTADO QUASE TODOS

    ingénuoS SALVAI-VOS QUE VOS QUEREM DESINGENUIZAR TODOs

    a União, que praticamente não têm dívidas, pHodem e devem fazer o papel

    que antes era dos estados DA CON FEDERAÇÃO

    OU SEJA O NORTE VEM DAR CABO DO SUL

    E DESTA VEZ NEM SEQUER UMA GUERRA CIVIL

    PRA SE FAZEREM UNS FILMEZINHOS ÓDESPOIS

    RUYM RUYM MESMO….É QUASE UM BLOG EM FORMA DE SNS

    OU SMS TANTO FAX… AUDI TORIAS PÉ DAS GOUGIAS DÁ HÁRPIAS

    GREGAS DESINGENUIzemos a eurropa já pode ser com zyklon S desta vez?

  • Zyklon B para ingénuos, desingenuizar em 10 lições mações....

    A austeridade falou na Grécia. A austeridade falou na Irlanda. A austeridade falou em Portugal.

    Muyto longo mais curtex come adezia sou arex e sou kratex
    A austeridade falhou na Europa excepto na Alemanha Finlândia e afins

    ou seja adevemos é voltar ao expansionismo sem freio e sem limites
    cápormi tudo okdex

    a con fiança não voltou aos mercados, porque uma merckel rebolucionária e quiçá um submarino bloc ista disse que os privados e não o eurrofederado que paguem o défault e o hair-cut grego

    e os mercados estúpidos e ávidos puseram-se a pinsar

    atão os gregos cortam o cabelo e eu é que pago ao barbêro?

    a economia não retomou nem vai retomar

    só com inflação a rodos é que retoma

    o qué bom para as cigarras

    mas é tramado para as formigas rabigas

    cortar em instiputos e merdas que formam putos de merda

    e merda de putes que criam serviços de frald’ários vários e con’s

    truck são e sões bárias

    reformé um état de direito é entortá-lo

    qualquer palerma sabe que restrições nos gastos e na despesa de pessoal de um estado criam crise económica

    adevia-se distribuir o que se corta num lado

    aos que nada têm no outro né?

    mas isse é Ficção Cienmanipolliti pullite né?

  • Zyklon B para ingénuos, desingenuizar em 10 lições mações....

    Resumidex : A eurropa democrática procurava a verdade e não o bem estar sucia all

    a eurropa democrática a bem dizer tava cheia de escravos

    cá por mim nã me importo de ter uns escravos nas plantações dos estados do sul

    mas o Norte vai nessa?

    o Merckelpoloinlon nã queria libertar os escravos do sud

    do peso do estado gordo e disfuncional

    que a pretexto de dar phoder ao povo

    aphodia as filhas e filhos do povo

    e obrigava os paes a pagarem as casas pias

    onde o fazia?

    acho ca mural da histéria tá em:

    Con’s truir TGV’s só pra truões com pitroil

    e o nosso é verde e arde em cada verão…

    na verdade até arde no inberno do vosso descontentamento

    agente é ingénua não ligue….o gás claro…

  • Zyklon B para ingénuos, desingenuizar em 10 lições mações....

    A troika que é 2/3 da tal eurropa e 40% do outro terço euro-russa

    tem soluções que não servem a Putocale onde o estado dá bóptimos salários

    e os custos de produção do sector privado que nã travalha pó estado em termos salariais é uma misérria da mais merdosa

    logo é impossível arreformar uma classe média funcionalista ou reformada que paga todas as serviçaes e serviços de que as mães de braganza nã sã entusiastas sub-hastas e haustórios mas os paes comem até não phoder mais

    por outro lado num pays de desmpregados de 40 e muitos a 60 e poucos que sabem fazer alguma cousa mas tão velhos

    e de pessoal en paro dos 16 aos 36 uns sem diploma e que só sabem fumar e phoder o phoder e arrotar morte à bófia e outros que pertencem à massonaria sem canude nem doutore lamento e têm de emigrare para paese com menos casas ou com mais terramotos

    vulgo sysmos de parox sysmus ingénuos

    sobram os licencyados sem empleo e com pouca experiência noutra arte senão o con sumo e outras artes marciais que tiram o dojo do nojo

    alguns arrimam-se a um partei ou bloc

    e aparecem em centros de desemprego e formação pró fé fissional

    explicar aos bestuntos velhotes desempregados

    queles são dôttores em comunica À SÃO sucia all dá geral

    ou outra merdoka qualquer

    e é hora dos desempleados fazerem o que estado sucia all nunca fez

    levantar o cu e ser empreendedor para pagar impostos

    a toda empresa púbica e instiputo

    que envia cartas a pessoA ALL ingénuo

    a dizer que lhe cortam o que ele nã arrecebe

    e lhe dão um pontapé nos tu mates se ele nã fore ouvir o senhore dottore

    arresumindo deixa de travalhar e vem aqui cagente precisa de maralha pra justificar o meu empleo

    bossa nova senhoria apecebeu-se desta ingenuidade dos parolos

    atão querem sair debaixo do estado

    mas o estado nã os deixa ….

  • Zyklon B para ingénuos, desingenuizar em 10 lições mações....

    manda Merckel em quê?
    assusta os investidores no eurro espaço
    mais do que o Dubai assustou os bankos eurro-amarikados?

    olhe qui não olhe qui não…

    adevia trokar o livro de histéria loução pelo Putocale amordaçado
    receitas para amordaçar uma nação sem ela gritar muito..

    é um besta seller
    sellers de selos é o que são us marquês e a bon marché
    achetez les articles des créateurs du monde et de la demo kratie en grécque comme les putogays et dernières tendances sur la boutique politique de Neo Mid enterrand au gaijo qué neo-kool
    Pain à la Grècque is pain ou pan pan?
    somes grècques n’est pas…

  • Zyklon B para ingénuos, desingenuizar em 10 lições mações....

    As outras lições seguem pelos correios via CP
    chegam aí daqui a 2 anos um pouco mordidas pelos ratos

  • Se deixaram as relvas a crescer durante décadas queriam um jardim nas ilhas?

    A europa do directório era francesa
    Esta teve duas faces visíveis mas com muita gente atrás
    A crise de crédito foi euro-americana mas deu uma década que vai fazer inveja ao resto do século XXI e ao XXII que virá
    Somos gregos há que viver das glórias passadas

Deixar comentário