Isto irá (Crónica de amanhã para o jornal Público)

Miguel Portas

Isto irá. Daqui a uma semana é 1º de maio. Ser-te-á prestada homenagem, quando já estivermos mais repostos. Os teus amigos farão outra coisa: festejarão o teu aniversário. 

Há quinze dias a crónica não saiu. Não fui capaz de a escrever. Eu tinha sofrido uma grande perda e não quis receber uma avalanche de mensagens. Recebi apenas algumas. Uma delas era do Miguel Portas: “internado em Antuérpia”, dizia, desejava-me força naquele momento difícil. Nestas duas semanas, enviei-lhe duas mensagens, desejando-lhe força também, para os tratamentos. “Brigado”, respondeu ele, “isto irá”.

Hoje a crónica sai, não sei se em condições para ser lida, peço desculpa por isso. É 25 de abril, e o Miguel Portas morreu ontem. É duro. Daqui a uma semana será 1º de maio. O dia de anos do Miguel Portas, data que o enchia de vaidade. Isto é mais do que duro. É cruel.

Foi cruel morrer assim o Miguel Portas, tão dolorosamente. Mas ele não se zangou com a vida. Logo o Miguel, que tantas vezes na vida se zangou sem razão, não se zangou com a vida, mesmo quando teve toda a razão para isso. Mas ele só podia gostar muito da vida. Tanto que nunca acreditou que ela lhe pudesse fazer esta desfeita. Há mesmo pessoas em que o gostar muito da vida está na raiz de tudo.

Isto irá, Miguel. Hoje é 25 de abril. É dia de descer a Avenida da Liberdade. Vão lá muitos amigos, de cravo na mão, camaradas teus, namoradas tuas, gente com quem te zangaste, gente com quem te reconciliaste, gente com quem fizeste política, e jornalismo, e amizade, e com quem desfizeste também. Para qual das coisas tinhas mais talento? Também isso discutiremos ao descer a Avenida da Liberdade, mesmo os que não puderem descer a Avenida; lembraremos os jornais, e a política, e as amizades.

Isto irá. Daqui a uma semana é 1º de maio. Ser-te-á prestada homenagem, quando já estivermos mais repostos. Os teus amigos farão outra coisa: festejarão o teu aniversário. Mesmo aqueles que andaram à bulha contigo. Todos sentem a tua falta. Até de andar à bulha contigo. Falarão das coisas que fizeste, lembrarão como entraste na vida deles, e não esquecerão nada, das coisas mais importantes àquelas que não têm importância nenhuma. Como lhes arranjaste um emprego. Como o jornal foi à falência. Como fizeste um partido novo.

E, sabes, Miguel? Isto irá. Aprenderemos finalmente, talvez não seja já para amanhã, mas aprenderemos. A fazer as coisas de outra maneira. A ser camaradas. A respeitar as diferenças. A juntar forças, mesmo. Tu, que nunca foste sectário, vais gostar de ver. Mas como eras taticista, vais ficar surpreendido.

Isto irá, finalmente. Faremos deste um país melhor. Teremos de ser muito melhores para o conseguir fazer, é claro. Mas isto irá. As coisas estão difíceis agora. Mas um dia vamos reconstruir o que agora está sendo destruído. Nascerão as novas escolas, e teatros, e serão reconstruídos os prédios velhos.

E haverá mais. Haverá viagens, Miguel, em que se arrancará logo de madrugada. E piadas contadas em várias línguas, francês desenrascado, italiano macarrónico, inglês acabado de aprender, uma ou duas palavras em árabe. Isto irá. Hão de cair mais uns tantos muros, vais ver. E vai haver jogos de futebol contigo como guarda-redes. E vão aparecer uns jornais e umas revistas novas, com um pessoal novo, talentoso, que havemos de descobrir. Vamos ter umas boas ideias. E, tal como garantiste tanta vez, vamos dar a volta a isto. Vamos dar a volta a tudo. Nem sempre acreditei, é certo. Mas isto irá.

28 Respostas a “Isto irá (Crónica de amanhã para o jornal Público)”


  • poema “Cântico Negro” do grande José Régio o seu “hino existencial”.

  • Isto irá.

  • Gostei um grande abraço rui. Igor Martinho

  • Maria josé alexandre

    Gostei mto Rui e sobretudo comovi-me com a forma como escreveu e vou deixar uma mensagem para ele:meu camarada isto irá ,espero eu..por ti por todos q acreditamos na democracia!

  • Isto irá…..o Miguel deixou as coordenadas a seguir….Ficámos mais pobres mas temos de continuar a CAMINHAR!

  • Teresa Botelho Moniz

    Que homenagem tão bonita, “Isto irá”. O Miguel lá foi de facto, e Portugal perdeu. Sinto muito.

  • É sem dúvida uma bela homenagem!

  • Isto irá…É preciso lutar e ontem como hoje, é preciso ABRIL!

  • Isto irá. Com mais dificuldade, é certo, porque sem a inteligência do Miguel, mas isto irá!

    Parabéns. Está escrito com uma enorme beleza e sensibilidade.

  • Conceição C. Barros

    Caro Rui, muito obrigada por este belo, tocante e positivo texto;
    neste momento em que de repente senti que uma das poucas pessoas que eu achava que fazia e faria alguma coisa por este país, partiu. Mas, Isto Irá!Percebo que o Miguel tivesse orgulho em fazer anos no 1º de Maio! Ele era um Primeiro de Maio!
    No Dia 25 de Abril ( ontem ) achei que o dia estava muito triste e pensei:- ” Até o Dia 25 de Abril está triste porque um dos seus Grandes ( em todos os aspectos ) Defensores, partiu. Chorei pelo Miguel e por tudo. Depois deler a sua bela e tocante Crónica, sei que Isto Irá, e sósinha ou acompamhada vou celebrar os anos do Miguel. Obrigada Rui.

  • O que é que eu penso da morte? Não penso nada porque nunca morri,não tenho nada que me pronunciar sobre esse assunto.Deixa-me morrer,porque depois,se houver alguma coisa e eu puder dizer,eu comunico para voçê,sou seu amigo,porque não hei-de comunicar,não é? isto é de Agostinho da Silva.Os amigos e camaradas esperam que Miguel continue a dizer coisas importantes para ele e para o povo portugues.

  • Maria José Isidro Aragonez

    Obrigada, Rui, por esta crónica, esta Homenagem belíssima que só um Amigo pode e sabe prestar. Vai fazer muita falta a este país, o Miguel, mas … isto irá.

  • Claro que irá……Assim o Miguel disse “Isto irá” vamos ter fé e o tempo dirá… descansa em paz grande Miguel se perpetue as tuas palavras será a nossa homenagem

  • Porque será que Deus só leva os bons? A sua perda é irreparavél, sinto a sua perda como da minha familia se tratasse, não consigo nem pensar, que vou ser privada dos seus comentarios. O Miguel Portas ficará na nas nossas mentes, como um dos politicos; mais sério, mais honesto e integro do nosso País. (porque os politicos que nos têm governado, na ultima decada, são Associaçoes de malfeitores, que estão no Governo para defenderem os seus interesses deles e dos seus amigos)

  • É uma tarefa de todos os dias. Sempre assim foi e sempre o será.

    cumprimentos

  • Esperemos que fiquem as suas Memórias, num tempo em que estamos a não querer guardá-las……………

  • Irá, sim.
    Mas para onde?

  • Não tem que ficar em nenhum local, Caro Contumaz, basta ficar-nos na Memoria! E na execuçao!

    Abraço

    akm

  • Há precisamente 2 anos que me cruzei várias vezes com o Miguel Portas no IPO. Apesar da ” nossa doença”, trazia sempre um sorriso e marcava pela sua simplicidade… “Isto irá” com certeza!

  • Fátima Reis, espero que a Si a doença, a tenha deixado!

    E tentemos todos que “isto vá”!

    Apesar de não estar facil!!!!

  • HOMENAGEM A MIGUEL PORTAS NO DIA 25 DE ABRIL
    A Junta de Freguesia e todos os partidos políticos representados, ou não, na Assembleia de Freguesia de Baguim do Monte prestaram uma singela, mas sentida, homenagem à memória do Dr. Miguel Portas, recentemente falecido.
    Esta homenagem, proposta pelo Presidente da Assembleia de Freguesia e que foi acolhida por todos com emoção, ocorreu na sessão solene comemorativa do 25 de Abril.
    O Eurodeputado Miguel Portas esteve presente nesta Junta de Freguesia, no dia 11 de Maio de 2008 – Dia da Europa – num debate organizado pela Caravela – APCE sobre a União Europeia, as suas instituições e tratados. Nesse debate também esteve presente o (na altura) Eurodeputado Francisco Assis, tendo sido muito agradável e proveitoso o diálogo estabelecido entre ambos.
    Agradável foi também o convívio estabelecido com Miguel Portas, nessa tarde e noite, pois revelou ser um cidadão atento e humanista, preocupado com o bem comum e frontal nas questões que abordou, entre elas a enfermidade que o vitimou.
    O Presidente da Junta de Freguesia teve a oportunidade de presentear ambos com várias lembranças alusivas a Baguim do Monte.

    À família enlutada, aos amigos íntimos e ao Bloco de Esquerda, a Junta e a Assembleia de Freguesia de Baguim do Monte (concelho de Gondomar)apresenta SENTIDAS CONDOLÊNCIAS pelo falecimento de MIGUEL PORTAS.

  • Apesar de ser do Bloco é um homem de consensos!

  • Adeus, Miguel!

    Isto irá! Sem ti, mas por ti!

  • Miguel Portas um Homem de consensos

    A morte de alguém, não poucas vezes torna esse alguém uma boa Pessoa. Em vida era um tormento, em morte – como já não incomoda – é uma maravilha. Todos já tivemos por certo oportunidade de assistir a “isto” quer em figuras públicas, quer em não públicas.
    Interessante que Miguel Portas sendo quem foi, irmão de Paulo Portas que de facto não gera consensos – veremos depois da sua morte! – e sendo dirigente do Bloco que tem algumas boas ideias, mas que se acha dono da esquerda, e todos – com algumas poucas excpeções – falam ao berros, com cara de mau, para nos assustar, não entrava neste registo, claro que tinha ideias de esquerda. Claro que as defendia, claro que era um homem de esquerda. Hoje esquerda e direita definem-se pior, mas mesmo assim era de princípios de esquerda!
    Mas era humano, era Pessoa, assumiu publicamente a sua doença, como qualquer um de nós, por ser de esquerda não é necessário esconder, para passar superiormente as “estas coisas que até matam” Assumia publicamente a sua Família, para ser de esquerda, não é indispensável viver-se sózinho!
    E era uma Homem de ideias, que defendia uma esquerda sem ligação ao antigo Imperio Soviético, que cordialmente tentou sempre expor o que pensava, o que achava ser melhor para o seu País, para a Europa.
    E era simpático, normalmente os políticos, não o são! Acham-se superiores – sabe-se lá porquê!. Percebia-se “isso” nas entrevistas que dava, na forma como falava, como comunicava.
    Não era dos políticos, como são a maioria nestes últimos 12 anos que quando começam a falar já se sabe o que vão dizer dado ser “sempre” mais do mesmo. Quando escrevem – salvo raras excepções , que as há, não só com Miguel – são uma maçadoria, não era o caso. Quando dão entrevistas acham-se os melhores.
    Miguel Portas aos nosso dias foi um Politico, goste-se ou não das ideias que defendia , dos bons, e cada vez são tao mais raros. Poucos “assim” temos, os dedos de uma mão chegam e sobram para os contar, e não só no nosso País, em toda a Europa. Cada um que se autoanalise com seriedade, e pense que mensagem passa!!! se conseguir!
    Curioso ver-se uma certa unanimidade de consenso que criou no Parlamento Europeu e no nosso, onde muitos andam lá como unicamente políticos (!), ou por nunca terem tido outra profissão, e não vão deixar Obra.
    Miguel Portas deixou Obra, e foi boa Obra! E pode-se ler, e achar que nem tudo é exequível mas que o pensamento é linear, correcto, não necessariamente agressivo e não tendo que todos os outros aniquilar para ganhar espaço.
    Foi-se cedo demais. Pena! Faz-nos falta! Não direi saudade, que tal como fado, serão palavras muito lindas, mas não as entendo. Ficou a família, por certo com muita dor- isso vou sentido, sei o que é – como fica quando alguém que nos é querido se vai. Claro que nunca se morre em tempo quando antes dos Pais, aqui aconteceu – como muitas vezes sucede- e estes devem continuar bem vivos pela Memoria do Filho, e por si próprios, ambos com Obra feita!. Bem como a restante Família.
    E fica a Memoria – algo que se esquece rapidamente, nestes tempos, e deve deixar de suceder – do Miguel Portas , do seu trabalho, e talvez estes políticos de serviço, cá e lá devam aprender – todos – com o que fez Miguel Portas, de bem, e a bem, e com competência e capacidade.

    Augusto Küttner de Magalhães
    Abril de 2012

  • António C. Matias

    Também quero ajudar na reconstrução.

    “AS COISAS ESTÃO DIFÍCEIS AGORA. MAS UM DIA VAMOS RECONSTRUIR O QUE AGORA ESTÁ SENDO DESTRUÍDO.”

  • Isto, está muito sem conserto, esperemos melhores tempos…………..o Miguel, já não vai poder ajudar a melhor pensar…contemos com mais jovens, não arrogantes e não agressivos – como Miguel – , a ajudar a melhorar!!!!!!!!

  • Os decentes deixam-nos. Ficam tantos que não prestam….

Deixar comentário