A verdadeira doença

A doença europeia chama-se agora desemprego. E é agravada pela austeridade.

 Nos anos de 2008 e 2009 os líderes europeus demonstravam bastante confiança na solidez do seu sistema financeiro e, de caminho, no futuro da moeda única também. Em público dedicavam-se a admoestações aos americanos pela forma como estes tinham gerido mal a sua banca. Em privado, gabavam-se de que uma tal desregulação da banca seria completamente impossível na Europa. A imprensa especializada era menos entusiasta: já na altura se sabia que os bancos europeus, em particular franceses e alemães, se tinham alambazado em ativos tóxicos de origem americana, e que agora teriam de regurgitar tudo aquilo.

(No meio desse cenário preocupante, apenas um bom exemplo se destacava — o da banca espanhola, que tinha regras muito mais exigentes de financiamento, gestão e garantias do que era habitual na banca europeia. Vamos reservar este dado para a segunda metade da crónica.)

Declarações recentes de Durão Barroso, ao ser confrontado no México com os riscos que a crise europeia agora apresenta para a economia global, remetem de novo para a tese do contágio: lembrem-se, disse ele, que a crise começou nos bancos americanos!

Efetivamente. Mas este contágio transatlântico faz irresistivelmente lembrar as primeiras doenças que os europeus levaram para o Novo Mundo. Os ameríndios, impreparados de anti-corpos para doenças tão comuns como o sarampo, a papeira ou a gripe, foram mortos aos milhões por epidemias.

Mas isso significa que os europeus têm culpa, sim. Culpa de não se terem vacinado antes do contágio, e culpa de não terem dotado a sua moeda única de anti-corpos para resistir à crise. Hoje esta opinião é uma verdade inegável: caso o não fosse os líderes não estariam agora falando de providenciar uma união bancária europeia e até, no caso alemão, concordando com a evidência de que o euro necessitará a médio prazo de dívida federal, ou seja, de eurobonds. A médio prazo já o euro estará morto, mas enfim.

Então e os bancos espanhóis? Nas últimas semanas muitas teorias têm sido avançadas para o seu debilitado estado. A direita, é claro, tem culpado o governo e as autonomias regionais espanholas — simplesmente porque é sempre para aí que é mais fácil apontar as culpas.

Um gráfico recente da reuters apresenta a explicação para o que aconteceu. Na verdade, é muito simples. Os bancos espanhóis estão a braços com milhões de empréstimos em incumprimento: pelo menos um em cada dez empréstimos está em dúvida. Desde a crise, os incumprimentos quintuplicaram. E sabem o que mais quintuplicou em Espanha? O desemprego.

Sobrepondo a linha do desemprego à do incumprimento desde os anos 1980, em Espanha, vemos que elas se decalcam perfeitamente. Não há muito para explicar: os espanhóis, 25% deles, estão desempregados. Em consequência, muitos não pagam as prestações dos empréstimos. O principal ativo dos bancos é ter clientes dignos de crédito (ou seja, com rendimentos previsíveis). Sem eles, bancos que eram sólidos desfazem-se à frente dos nossos olhos. A doença europeia chama-se agora desemprego. E é agravada pela austeridade.

A Europa tem assim, culpa. Não se vacinou. Não se protegeu. Não se entreajudou. E quer continuar a expor os pacientes à chuva e ao frio.

16 Respostas a “A verdadeira doença”


  • Estando de acordo com Rui Tavares, acho que aqui deve ser ouvida a opinião de Medina Carreira, não se tem enganado.

    E podemos acabar a Eurolandia de vez….e todos os nossos politicos, internos e europeus, são muito, muito maus….

    Claro que não se lhes pode dizer isto…..se não lá se lhes vai o tacho………

    Mas………….. fazem nada pelo nosso futuro!!!! São maus….????!!!!!!

    Se eu lá estivesse seria pior!

  • Das vidas extra-ordinárias (con hífen) dos nossos deuses y deusas Imortaes e Itaes do ó limpo limpo

    A verdadeira doença vem com a idade…
    E a Eurropa tá bué bué bué velha….

  • A Vera Doença como a Vera Cruz é Americana Como o Obama

    O verdadeiro activo dos bancos é ter a con fiança dos depositantes.
    Os bancos gregos não a tinham
    Os espanhóis apesar de tudo, 60 ou 80 mil milhões depois, ainda a têm, podem estar cheios de hipotecas sobre propriedades inflacionadas pela especulação, mas isso também existiu no passado noutros países eurropeis, nomeadamente na Grã-Bretanha de Major

    A verdadeira doença é os vários orEGÃOS do corpo político eurropeu
    nã funcionarem como um systhema…de facto nem tema têm

    Os ameríndios (termo neocolonialista por um gaijo que se enganou no continente, os nativos americanos), impreparados(isentos tal como no SNS)? de anti-corpos(,) para doenças tão comuns…se as doenças fossem comuns eles arranjariam os anti-corpos, o problema é que eram doenças bastante incomuns) e logo com taxas de mortalidade muito elevadas como o sarampo, a varíola (que matou a maioria dos milhões)a papeira (QUe eu saiba tirando esterilizar alguns milhões de machos latinos e nativos latino-amarikanos pode matar uns quantos por encefalite, mas não foi o que exterminou tanto índio, a tuberculose (doença não viral, todas as outras o são ou a pneumonia pós gripal mataram muyto muyto muyto mais) ou a gripe, foram mortos aos milhões por epidemias….também ajudou muito serem trinchados e metidos em guerras intestinas devido aos avanços dos colonizadores

    mas …falência do pâncreas ou encephalititis após papeira é mai incomum que abortus by rubéola…

  • A Vera Doença como a Vera Cruz é Americana Como o Obama

    A verdadeira doença é a economia eurropeia depender muyto do crédito bancário, muyto mais do que a amerikana

    Também é um indício de um corpo doente os serviços (bancários e outros) representarem partes importantes da economia eurropeia
    Cousas que entram em crise mais rapidamente que outras actividades

    Nosso Ford vendia uma parte da sua produção aos seus empregados
    Se nosso Ford fosse dono de um restaurante ou duma agência de viagens tava falido

    Resumindo: A verdadeira doença é a incapacidade de planear do cérebro eurropeu disfuncional por sofrer de múltipla personAlidade e todas ao mêmo tempo

    P.S ou PSD: com um mercado destes e nem umas facturas falsas forampassadas em nomine da eurropa e do eurro esse vento que vem do leste (e de espanha nem bom vento…etc

    vá o éolo ter fillis destes…se tivessem escolhido outro vento para moeda se calhar nós os gregos estávamos melhor

    uma notinha de 5 éolos pó belisarius de serviço vai não?

  • A Vera Doença como a Vera Cruz é Americana Como o Obama

    De resto há a referir que os soldados eurropeus durante todas as guerras na américa também morriam que se fartavam de varíola, escarlatina, febre tifóide ou typho tiffosi e de peste negra aí no início do XVIIº agora mortes por papeira apesar de provavelmente mais altas (ou não) que nos eurropeus não parece ter sido significativa

    Assim a verdadeira doença é a falsa in for mação que passa por vera maçonaria de qualidade
    A falta de in for mação da populaça pouco evoluída também con triui para a doença geral no velho e decrépito corpo eurropeu

    algumas partes do corpo até têm a ilusão que funcionam melhor fora do ditto cujo

    A vera doença é essencial mente mental
    é a con vick são que há orgãos que são imortaes e extra-ordinários
    sobrevivendo ao colapso da cadavérica eurr’opps

  • sara fonseca ferreira

    Totalmente de acordo. Mas até quando e/ou onde vão os pacientes continuar a expor-se à chuva e ao frio? O que fará rebentar a corda? Alguém se atreve a predizer?

  • A Vera Doença como a Vera Cruz é Americana Como o Obama

    As cordas não rebentam, as fibras distendem-se e partem
    O golpe de chicote da corda resulta da tensão a que está sujeita

    A verdadeira doença é a falta de capacidade de análise e de senso dito comum, mas assaz raro e logo incomum

    Rússia 43 Alemanha 35 Portugal 29
    o medo é a verdadeira doença, que leva os outros a protegerem-se dos leprosos, uns porque já foram leprosos nos idos de 91

    Estados Unidos 21 outros porque temem vir a ser como em 29

    Letônia 3 outros porque a vera doença é probabilística calha aleatoriamente ao paciente mesmo impacientemente

    Brasil 1 pois brasileiro está bem de vida e recomenda-se não necessita de preocupar-se com irmãos pródigos pouco abonados

    Belarus 1 outros por estarem cá como mão de obra escrava ufanam-se de ter escapado a tempo
    Suíça 1 por razões óbvias a doença chama-se saudade

    China 1 há sempre 1/4 de probabilidade da doença ser chinesa

    República Tcheca 1 um compatriota lubos motliano que também sofre da doença da avareza

    ninguém quer emprestar guito ao alberto joão….

    a verdadeira doença é a falta de solidariedade com os desvalidos

    eu já dei…some-te daqui ó romeno cheio de pitroil

    os romenos que paguem as crises..ou os do Mali cá por mim tanto me fax

    Direitos adquiridos de bombardear os servos da gleba mais escurinhos

    A vera doença tem direitos adquiridos sobre a alma nazionale
    irredenta y irrazionale…os de Alcaíns são cães os de Vale fermoso anães…e os de Tavira comem na gaveta

    é uma vera doença de secretária ou de alpaca (um camelóide sin manga

  • Tanta palha em cada comentario!!!!!!!!!!!!

  • A Vera Doença é como os blogs e kommentadores komemdadores sunt simplicimus

    A palha é a haste que suporta o grão que nos sustenta

    É essa palha que nos alimenta via bifinhos da vacaria

    A palha é nobre contrariamente aos animaes que a comem e a produzem
    egotisticamente a palha é a maior produção de todos os b logues e alfa-logs e dos comentadores associados

    é de palha que se faz a eurropa e o eurro

    é de palha que se fazem os homens (e gaijas) eurropeus

    por isso straw mensch faça seus fardos de palha

    para sua maior glória

    que outros deitam fogo aos do vizinho

    porque gostam do cheiro da palha a arder

    e a eurropa e o mundo são palha…e a palha arde bem no verão

  • sara fonseca ferreira

    Exactamente. Tanta palha. Perde-se a vontade de comentar.

  • Tanta palha………………………

  • não deviam ter comido tanta e agora comentavam melhor

    De Algarve a 28 de Junho de 2012 às 23:55

    Porquê que não substituem os gajos da TAP por os da força aerea?Estão sempre em greve e ganham pouco menos que os medicos,a unica coisa que podem argumentar é que os medicos ganham 600 euros por noite a dormir e eles teem que estar acordados,de resto não teem muito mais argumentos.

    Provocar | Primeira chapada | Tudo ao molho

    De PORQUEgaijos d TAP eram da dita força a 29 de Junho de 2012 às 00:03

    e os da ditta forza (italia) querem ser gaijos da Tap

    vê-se o mundo comem-se hospedeiras enquanto a mulher do senhor major (all vega nã é o outro de gondomar capitão da guerra das batatas )tá a cuidar dos putos

    e além dos 5000 a 7000 por mês e da reforma aos 55

    podem levar umas coisas tax free…

    é uma boa vida

    é melhor do que ser rameira de hotel por 475 ao mês

    e ter side despedida da função

    porque houve 60 cancelamentos para julho e o hotel não precisa de gaijas a 475 ao mês que só façam camas

    pois pode contratá-las a 30 por dia se a greve for cancelada e o hostel encher

    é a vida nos reynos de puto calle y all garbes alarves e árabes

    cá em lisboa somos gregos
    nã temes problemas desses…

    Provocar | Primeira chapada

    De aviador grego em greve a 29 de Junho de 2012 às 00:06

    Khamis, 28 Jun 2012
    NUM PAÍS EM COMA INDUZIDO HÁ SÉCULOS HÁ QUEM O TENTE ACORDAR, HÁ QUEM O QUEIRA DESLIGAR DA MÁQUINA ESTATAL E HÁ QUEM O QUEIRA PARTIR EM PEDAÇOS E VOLTAR ÀS TAIFAS MOURAS OU ÀS CIDADES-ESTADO GREGAS É ASSIS O NOSSO FADO
    NÓS GREGOS VIVEMOS NUM MISTO DE HUBRIS E DE DEPRESSÕES CRÓNICAS

    HÁ DIAS EM QUE QUEREMOS MONTAR NO VIZINHO

    PORQUE É UM BÁRBARO IRRACIONAL E ASSASSINO

    E NO OUTRO QUEREMOS QUE ELE NOS PAGUE O CAFÉ E A RENDA DO PAÍS

    NÓS GREGOS QUE MONTAMOS A GAIJA EURROPA SEM ROUPA

    VAI PARA UNS TRÊS MIL ANOS E PICOS

    E COM OS MINÓICOS OU OS CICLISTAS CICLÁDICOS

    INDA DÁ PARA MAIS UNS DOIS MIL ANOS EXTRA

    NUNCA EM CINCO MIL ANOS PUXÁMOS DO LIVRO DE CHEQUES

    PARA COMPRAR UMA VESTIMENTA DE JEITO

    PARA A VELHOTA

    ASSIS NÓS ÁCAROS GREGOS NAS COSTAS E BAIXO VENTRE DA DITA CUJA

    REPARÁMOS DE REPENTE QUE ESTAVA A FICAR CALOR

    E QUE NOS TINHAM CORTADO A ELECTRICIDADE

    UNS DISSERAM QUE A CULPA ERA NOSSA PORQUE SOMOS GREGOS

    OUTROS DISSERAM QUE A CULPA ERA DELES PORQUE ERAM BÁRBAROS

    QUE NÓS TINHAMOS ACOLHIDO POR BONDADE NAS PARTES ALTAS DA EURROPA

    E QUE SÓ NOS TINHAM DADO CHATICES

    SALVEM-NOS DIZEMOS NÓS OS ÁCAROS GREGOS QUEIMADOS DE ULTRA VIOLETAS

    COMPREM-NOS PROTECTOR SOLAR DIZEM OS BÁRBAROS

    COMO DIZEMOS NÓS SE SOMOS GREGOS E ÁCAROS

    A CULPA DE NOS QUEIMARMOS É SÓ VOSSA

    E SE CALHAR OS ÁCAROS GREGOS TÊM RAZÃO

    OS ÁCAROS BÁRBAROS TÊM CARRADAS DE CULPAS

    A PRINCIPAL É SEREM ÁCAROS

    SE TIVESSEM EVOLUÍDO PARA CHATOS…
    Dicatat oleh evoluíssem árabes evoluissem

    qu’isso de ser camareira de hotel desempregada

    é mesmo de all garvios que comem na gaveta

    chamar Te vira a uma terra cheia de all dea mento’s
    dá nisso
    fossem para a Forza Aérea e agora podiam ser hospedeiras de Borde…borde agora leva L?

    Comentar é uma arte desde o Commentarii de bello gallico

    Já debitar uma frase vazia de não me apetece porque comi palha

    é…geralmente evito epítetos porque é anti-peda gogein

    de paidós (pute ou..) e agogé …ou há gágá

    iste há gregos que nem sabem ler a língua mãe

    nem vomitar na palha

  • não deviam ter comido tanta e agora comentavam melhor

    mas provavelmente tiveram uma péssima educação

    num tempo de escuridão

    alguém precisa de trazer luz aos que sempre foram apagados

    geralmente atirar-se na fogueira onde ardem tantas vaidades

    empesta mesmo os de estômago mais forte

    e o mê é tã fraquinhe…

  • A doença europeia chama-se agora desemprego. E é agravada pela austeridade.

  • é só Palha bom povo é só palha é azar estarmos no verão deita fumo mal cheiroso é melhor queimá-la

    austria idade? é devia arranjar-se mais gente subsidiada para mudar fraldas
    reformavam-se todos os oficiais na reserva territorial
    e com a poupança criavam-se 12 mil empregos a recibo verde para lhes mudar fraldas algálias

    os restantes 600 mil voltavam à apanha manual da azeitona iam para ceifeiros
    voltavam os 5 cafés e snack-bares por 1000 habitantes

    e os restos iam reformar os 2 milhões de habitações com mais de 40 anos
    é verdade que na maioria dos casos ninguém quer ir viver para lá
    mas voltávamos a enchê-las de brasucas e romenos e moldavos

    é pena que muitas tenham caído entretanto…

Deixar comentário