Santo Subito! Santo Subito!

[Público 4 julho 2007]

Eles são, na verdade, imaculados: mentem sem pecado, prestam falso testemunho sem pecado, inventam pretextos para a guerra sem pecado, justificam invasões sem pecado, prendem sem pecado, torturam sem pecado.

A despedida de Tony Blair foi programada de maneira a não ser menos longa nem menos previsível que uma telenovela. E uma telenovela cuidadosamente gerida para que uma pequena floresta de papel impresso se gastasse com avaliações do currículo do homem, da sua relevância, da sua herança. Quem a viu, fê-lo só para confirmar o final – foi das fraquinhas.

Entre as elegias e os panegíricos chamou-me a atenção uma análise de Teresa de Sousa aqui neste jornal.


Nela se especulava sobre os projectos futuros do ex-Primeiro Ministro britânico, começando pelo seu novo cargo de enviado especial para o Médio Oriente e sem esquecer o boato de que a visita ao Papa serviu para preparar uma conversão ao catolicismo. Em destaque, era-nos dada a garantia que «no Médio Oriente ou na Europa, Blair não vai entrar no circuito das conferências pagas a peso de ouro. Vai certamente tentar corrigir “o que está mal”».

Se assim é, receio que uma conversão não baste. Para que Tony Blair opere os milagres necessários, Bento XVI deveria, com carácter de urgência, dar início a um processo de canonização. Afinal de contas, Tony Blair é ainda o mesmo homem que no Verão passado se ofereceu a George W. Bush para ir “fracassar” numa visita ao Médio Oriente e assim ganhar um pouco mais de tempo até que Ehud Olmert percebesse o que andava o exército israelita andava a fazer na nova Guerra do Líbano. É, sem dúvida, um belo cartão de visita para apresentar numa visita a Beirute: eu sou o homem que se ofereceu para empatar um cessar-fogo enquanto as vossas casas eram bombardeadas. Se Blair quer “corrigir o que está mal”, pode começar por si próprio. Talvez como São Blair seja mais fácil.

***

Do outro lado do Atlântico, também George W. Bush tem poderes milagrosos. Os leitores lembram-se que há um mês atrás foi condenado a trinta meses de prisão Lewis “Scooter” Libby, ex-chefe-de-gabinete do Vice-Presidente Dick Cheney, perante provas que o juiz considerou “esmagadoras” dos crimes de falso testemunho em tribunal (perjúrio) e obstrução à justiça. Pois bem, George W. Bush decidiu usar o seu poder constitucional e simplesmente apagar os trinta meses de prisão da pena de Scooter Libby, que considerou “excessiva”.

Muita gente perguntou de imediato se este não era o mesmo George W. Bush que, enquanto governador do Texas, se recusou a comutar a pena de qualquer condenado à morte, incluindo deficientes mentais. O mesmo que chegou a zombar de uma condenada à morte que lhe pediu clemência. O mesmo que se justificou dizendo que o seu trabalho não era corrigir os tribunais. O mesmo que se gabava de ser duro com o crime. O mesmo que nunca demonstrou interesse pelos 160 mil condenados federais a quem ainda hoje poderia, se desejasse, comutar penas “excessivas”. Ora, estas observações são absurdas. George W. Bush sempre disse que era um “conservador compassivo”. A parte da compaixão era para os amigos.

Também Bush deveria ir mais longe. A inocência dos seus é um direito constitucional que já lhe assiste. Por que não dar mais um passo e canonizar, pura e simplesmente, Scooter Libby? Melhor ainda: canonizem-se uns aos outros, e reciprocamente, todos os neoconservadores. Eles são, na verdade, imaculados: mentem sem pecado, prestam falso testemunho sem pecado, inventam pretextos para a guerra sem pecado, justificam invasões sem pecado, prendem sem pecado, torturam sem pecado. Morrem milhares de soldados e centenas de milhares de civis sem pecado. Tenha-se isto por dogma da religião revelada. Santificados sejam todos.

1 Resposta a “Santo Subito! Santo Subito!


  • A CENSURA na comunicação social existe, está aí. Por isso…
    Para lá de uma certa Almada virtual na televisão e nos encartes de jornais, há quadros, cenas e imagens de uma Almada real escondida e esquecida que os almadenses não gostam de ver.
    http://emalmada.blogspot.com

Deixar comentário