Que lindo serviço

Dados económicos, entre a chegada de George W. Bush à Casa Branca e o dia de hoje. Tirados daqui.

Dow Jones January 19, 2001: 10,587.59
Dow Jones September 29, 2008: 10,365.45

NASDAQ Jan 19, 2001 = 2770.38
NASDAQ September 29, 2008 = 1983.73

Dollar exchange with Euro, January 19, 2001: 1.068
Dollar exchange with Euro, September 29, 2008: .695

4 Respostas a “Que lindo serviço”


  • Do ponto de vista europeu, George Bush, foi/é um bom presidente, é esse o ponto, não é, Rui?
    Um euro mais forte, do ponto de vista europeu, é óptimo, não é?
    Confesso que este «post» me confunde.
    Considera Bush um bom presidente (do ponto de vista europeu) mas votaria Obama.

  • Não Pedro Oliveira, o ponto — ou melhor, a questão — não é essa. George W. Bush é um mau presidente, não do ponto de vista europeu ou americano, mas do ponto de vista das qualidades que um presidente deve ter. Nos EUA, na UE, ou em qualquer democracia. Eu votaria Obama precisamente porque sou pró-americano (como sou pró-brasileiro ou pró-outros países) e não gosto, em geral, de ver países governados por gente incompetente, irresponsável e que — ainda por cima — fazem gala de um certo sentimento anti-intelectual. Um presidente assim é má notícia para todo o mundo, e não apenas para os EUA.

  • «Bush é um mau presidente do ponto de vista das qualidades que um presidente deve ter»

    Que qualidades?

    «(…)fazem gala de um certo sentimento anti-intelectual»

    Bem, julgo que na sua opinião as qualidades necessárias para ser um bom presidente é possuir um sólida bagagem intelectual (e cultural acrescento eu).
    Desse ponto de vista Fernando Henrique Cardoso teria sido um excelente presidente e Lula será assim uma espécie de Bush sul-americano.
    Para utilizarmos uns exemplos nacionais, Guterres teria sido um excelente presidente (do conselho de ministros) e Santana ou Sócrates seriam/serão uma espécie de Bush lusitanos (a confundirem violinos de Chopin e a engenhocarem mamarrachos).
    Infelizmente (ou felizmente) a realidade lá como cá é bem mais complexa.

  • Pedro, para sua edificação:

    O maior problema com Bush não é ser pouco “culto” — foi ter liderado um governo especialmente hostil aos especialistas dos vários domínios, desde a biologia à economia.

    Political interference in scientific research (U.S.)
    http://www.sourcewatch.org/index.php?title=Political_interference_in_scientific_research_%28U.S.%29

    Na sua confusão o Pedro demonstra a atitude estúpida e pedante da nossa elite Antena 2, para quem que a “cultura” é símbolo de classe e onde um Lula da Silva é portanto necessariamente “inculto”.

Deixar comentário