Arquivo diario para September 24th, 2008

Fantasismo ingénuo

João Miranda critica a minha crónica de hoje (estará aqui mais tarde):

Rui Tavares diz que há 2 ou 3 especialistas que previram a crise e conclui daqui que a crise era previsível. Claro que há aqui um pequeno problema. Rui Tavares está a identificar os especialistas com capacidade preditiva a posteriori.

Em título, chama-lhe “empirismo ingénuo”. Em etiqueta, chama a isto “hindsight bias”. Há duas respostas diferentes: a primeira é que eu não disse que a crise era “previsível” (até porque a questão seguinte seria sempre de grau: saber se seria muito ou pouco previsível). Escrevi que houve gente que a previu e que, portanto, poupem-nos à treta do costume de que “ninguém poderia prever o que aconteceu”.

Quando ao “hindsight bias”, ou “previsão retrasada”, a questão é muito simples. Basta escolher quem levar a sério daqui para a frente: aqueles que previram correctamente a crise, ou o João Miranda e outros fantasistas. Na base da muita informação disponível, eu fiz a minha escolha já há muito tempo pelos primeiros, portanto o João Miranda não me pode acusar de hindsight bias. Pelo contrário, ele é que é um portento: nem a priori, nem a posteriori, não há maneira de ele acertar nesta crise, e ainda pensa que pode desvalorizar os que a previram porque, como sugere num comentário, poderiam não a ter previsto.

Mais comentários:
Continuar a ler ‘Fantasismo ingénuo’