Arquivo diario para September 22nd, 2008

Agenda para amanhã

Menino Pangloss está irritado e exige silêncio

Rodrigo Adão da Fonseca insurge-se contra a minha crónica de hoje no Público, que estará aqui mais tarde. Não o vejo apresentar nenhum argumento contra um texto em que critico três intervenções recentes (de Alberto Gonçalves, António Borges e da campanha de John McCain) para defender uma coisa simples: provar que o nosso pudim ideológico é delicioso em teoria pode dar uma grande satisfação psicológica; mas se o vamos servir a milhões de pessoas convém que ele não tenha salmonelas. Agora é altura de o leitor adivinhar uma coisa: o que faz um dogmático de direita quando está irritado com alguém mas não consegue responder? Errado! Não, Rodrigo Adão da Fonseca não me chamou “esquerda caviar”. Desta vez puxou muito muito muito pela cabeça e saiu-se com um insulto original: “humanista caviar”. Estou mesmo ofendido.

O mais portentoso, porém, é o excerto seguinte:

«Espanta-me, mais uma vez, ler tudo isto num jornal supostamente moderado, no Público. Depois, senhores da SONAE, que deixam que o seu dinheiro dê voz a radicais, não se queixem, nos momentos da verdade, que o país está enviesado, entregue à extrema esquerda, e que encontram resistência na mentalidade dos portugueses para promover a mudança.»

Se eu digo que no texto que as falências podem provar a saúde do sistema em teoria mas prejudicam pessoais reais na prática, o Rodrigo Adão da Fosenca pode achar que isto é anti-capitalismo. Eu acho, pelo contrário, que o radical aqui é ele, e não é no bom sentido. É mesmo típico, aliás, da impotência do extremista a sugestão de que não se “dê voz” a quem com ele não concorda. Se fosse com o estado, ou com muçulmanos, até estaríamos certamente a falar de incitação à censura. Como é com um privado, o Rodrigo tem bom remédio: ponha as mãos em forma de concha em frente à boca, e grite: “Engenheiro Belmiro! Engenheeeiro Belmiiiiro de Azeveeedo! Mande calar aquele menino que disse coisas feias sobre o meu dogma!”. Se quiser, pode também fazer beicinho e bater com os pés.

Não ligue à desarrumação

Quer ver uma demonstração dos meus dotes divinatórios? Caro leitor, você está aqui porque viu na última página do Público de hoje, 22 de Setembro de 2008, o endereço www.ruitavares.net acrescentado ao texto da minha crónica habitual de segunda-feira.

Se é possuidor de um blogue ou de um sítio na rede, é possível que tenha voltado lá para criar uma ligação para esta página. Se o fez, saiba que lhe reservarei um espacinho no meu coração. A partir desse momento, chegarão novos leitores a este texto, provindos de lugares diferentes, e eu deixarei de adivinhar as circunstâncias exactas que os trouxeram até aqui.

A verdade é: eu não estava preparado (foi o Público que me pediu para passar a incluir um endereço no fim das crónicas habituais das segundas e quartas-feiras). Isto aqui é uma casa. Mas isto é também um processo. Isto aqui já foi muitas coisas e esteve em mais de um lugar, desde Março de 2003, quase sempre discretamente. Neste momento, é uma casa desarrumada em processo de se tornar uma coisa nova. Mais uma previsão: logo à tarde já estará diferente.