Arquivo mensal para May, 2003

Uma colega vossa escreveu-me com

Uma colega vossa escreveu-me com algumas questões sobre o teste. Como imagino que não é a única pessoa a ficar ansiosa com o teste, decidi copiar uma parte do email, com alguns conselhos para os próximos dias. São conselhos um pouco genéricos, mas se pensarem bem neles acho que ajudam. Quanto a questões mais pormenorizadas e práticas, estou disponível no meu email tavares@ehess.fr .

Pela experiência que tenho tido com esta cadeira e esta matéria, diria que todos os estudantes estão ainda perfeitamente a tempo de ter uma boa nota no teste. Mas não devemos pôr o carro à frente dos bois: a boa nota vem no fim.

Você agora está a fazer o correcto neste primeiro momento, que é estudar. É um processo com altos e baixos mas tem ainda alguns dias para acabar de ler com calma cerca de quarenta páginas de fotocópias. Não se exaspere com os textos; eles são como as pessoas e devem ser tratados (ou seja, interpretados) com a maior tranquilidade possível, paciência e bastante fair-play. Caso contrário fecham-se e tratam-nos com a mesma irritação que nós a eles.

Depois chega a altura do teste. Nessa altura vai ter 36 horas para descobrir uma maneira de adaptar o seu estudo aos desafios que aí lhe serão lançados. 36 horas para escrever duas páginas. Se tudo correr bem, é tempo suficiente para descobrir uma maneira de superar esse desafio de uma forma que seja a sua, com o seu estilo pessoal, mas fundamentado e informado, fazendo uso do que aprendeu. Se tudo correr melhor ainda o seu texto será interessante e original e aí teremos ambos a ganhar; você porque será premiada com a nota adequada, eu porque tenho dezenas de testes para ler e a única alegria que terei naquele momento será ler bons testes.

Ou seja: a nota vem no fim. Se se colocar no caminho do estudo, primeiro, e do desafio, em segundo lugar, corre o risco de bloquear tudo.